Fã de Gusttavo Lima denuncia que foi enforcado por seguranças ao tentar entregar chapéu para o cantor durante show em Goiânia

O homem conta ainda que recebeu gás lacrimogêneo no rosto ao tentar pedir ajuda para policiais. Segundo o denunciante, cerca de 6 seguranças participaram das agressões.

Um fã do cantor Gusttavo Lima denunciou que foi enforcado por seguranças ao tentar entregar um chapéu para o cantor durante um show em Goiânia. O homem informou ainda que ao tentar pedir que policiais militares que estavam no local registrassem um boletim de ocorrência, foi atingido com gás lacrimogêneo no rosto.

O caso aconteceu durante o show Buteco do Gusttavo Lima, na noite do último sábado (2). O fã, que preferiu não ser identificado, relatou que as agressões aconteceram durante uma tentativa de entregar um chapéu para Guttavo Lima.

g1 entrou em contato com a assessoria do cantor, mas até a última atualização desta reportagem, não obteve resposta.

“Eu estava na área embaixador [em frente ao palco], a Maiara e Maraísa já tinham pegado o meu chapéu e me devolveram. Eu queria muito entregar para o Gusttavo, tentei ir até ele, mas no caminho um homem que estava bêbado me segurou, eu pedi licença, mas ele chamou os seguranças do evento”, disse o fã.

O homem contou que ao ser abordado por seguranças, foi solicitado que saísse do local, mas continuou na tentativa de entregar o chapéu para o cantor.

“Vieram 6 seguranças. Me deram um mata-leão. Estou todo machucado no pescoço e nas costas, quase quebraram meu braço, meu braço está imóvel”, afirmou o denunciante.

Segundo o denunciante, os seguranças de uniram para tirá-lo do evento, e durante o trajeto para a saída, foi enforcado e teve os dois braços colocados para trás.
“Se eu não entendesse de artes marciais, eu tinha morrido. Por várias vezes eu falei que não estava respirando. Pegaram meus óculos, meu chapéu e meu copo que eu tinha comprado no evento”, desabafou.

O fã, de 33 anos, ainda informou que ao ser colocado para fora do evento, viu uma viatura da Polícia Militar (PM) e foi até os policiais para pedir que um boletim de ocorrência fosse aberto sobre as agressões. Segundo o fã, os policias se recusaram a abrir e pediram que ele aguardasse o próximo dia útil para que ele pudesse procurar a Polícia Civil (PC).
Em nota ao g1, a Polícia Militar informou que orienta o denunciante a procurar a corregedoria da instituição, para identificar os envolvidos e apurar os fatos. Afirmou ainda que não compactua com nenhum tipo de desvio de conduta e nem com a prática de atos ilegais.
para que pudessem se posicionar, mas até a última atualização desta reportagem, não recebeu resposta.
O denunciante disse que após se negarem a fazer o B.O, começou a filmar a viatura e os policiais, para registrar o pedido nego. Após iniciar a gravação, o homem contou ao g1 que teve o celular tomado pelos militares e que a gravação foi apagada.

“Cheguei nos policiais e falei que tinha sido agredido e pedi que eles pudessem registrar uma ocorrência. Eles me disseram que não registravam. Me disseram que era para ir na segunda-feira registrar a ocorrência”.

“Ele tomou o celular da minha mão, deletou o vídeo. Eu tomei o celular da mão dele, e nesse momento ele jogou o gás lacrimogêneo no meu rosto. Saí desesperado, não conseguia enxergar. Quanto mais eu chorava, mais ardia os meus olhos”, contou.
O fã registrou um boletim de ocorrência sobre o ocorrido na madrugada deste domingo (3) e passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).

Fonte: G1 Goiás

About dptoconteudo dptoconteudo

Check Also

Dívida da prefeitura de Goiânia com maternidades ultrapassa os R$ 43 milhões

A falta de pagamento pode restringir atendimento e comprometer qualidade dos serviços, afirmam diretores. A …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *