Passageiro deve fazer cadastro para embarcar no transporte coletivo na Grande Goiânia

A partir de terça-feira (23/03), apenas usuários cadastrados poderão utilizar serviço público nas faixas de maior demanda, em horário de pico. A medida sanitária busca reduzir aglomerações no transporte coletivo como forma de combate à Covid-19

imagem
Foto: Reprodução/ Prefeitura de Goiânia

O Governo de Goiás e Prefeituras da Região Metropolitana decidiram limitar o acesso aos ônibus a trabalhadores das atividades essenciais. Por isso, os passageiros devem fazer um cadastro para que possam embarcar no transporte coletivo na Grande Goiânia.

A partir desta terça-feira (23/3), o embarque será prioritário para os trabalhadores de atividades essenciais nos horários de pico. A medida sanitária de enfretamento à Covid-19 foi discutida em uma videoconferência entre o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RedeMob Consórcio), Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Ministério Público e os prefeitos dos municípios da Região Metropolitana.

“Vamos ter coragem para enfrentar essa situação. Vejo esse controle seletivo de ter um horário para os trabalhadores de serviços essenciais como sendo possível porque as empresas de ônibus têm um sistema altamente tecnológico, capaz de fazer com que o cartão daquela pessoa deixe de funcionar na hora determinada e volte a funcionar nas demais”, disse o governador aos prefeitos.

Nos horários de pico da manhã (das 5h45 às 7h15) e da tarde (das 16h45 às 18h15), o acesso de passageiros aos ônibus, terminais e estações será controlado, por meio de um bloqueio eletrônico temporário de 90 minutos, para que somente possam embarcar os trabalhadores vinculados aos serviços e atividades consideradas essenciais. Para isso, a CMTC, em acordo com as ações do governo do Estado e da Prefeitura de Goiânia, criará uma resolução para o Redemob Consórcio implantar um cadastro emergencial de usuários no sistema de bilhetagem.

Quem não for dos segmentos elencados por decretos (estadual e municipal) como prioritários (saúde, alimentação, farmacêutico e industrial, entre outros) terá o embarque ou a integração liberada após o período. A validação do embarque, assim como o bloqueio temporário, será feita via cartão sitpass.

Um levantamento feito pela RedeMob mostra que aproximadamente 60% dos trabalhadores que utilizam o transporte no horário de pico não fazem parte do grupo de serviços essenciais. A medida que restringe a quantidade de usuários nos intervalos de maior fluxo está amparada nos decretos do governo estadual de número 9.653 e municipal de Goiânia de número 1757, que restringem as atividades econômicas e sociais para frear o aumento de casos de Covid-19.

A pesquisa foi destacada pelo secretário-geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima, que articulou a ação junto ao sistema de transporte coletivo. “Isso nos dá uma segurança que realmente há espaço para essa restrição. É uma ação que não impedirá a pessoa de se locomover normalmente, ela só deverá fazer isso em outro [caso não seja trabalhador dos serviços essenciais].”

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, falou sobre a importância da restrição. “Todos nós sabemos que o transporte hoje é um gargalo que temos. Essa medida está mostrando o cuidado que temos com a nossa população. Sabemos que não agradamos a todos, mas estamos fazendo o nosso melhor, e esse melhor agora é a pessoa ficar em casa e não sair andando por aí se tiver sintomática.”

Como fazer o cadastro para embarcar no transporte coletivo na Grande Goiânia

Somente terão acesso aos ônibus, nos horários restritos do pico da manhã e do pico da tarde, os passageiros vinculados aos serviços e atividades essenciais que tiverem feito previamente um cadastro emergencial pelo site www.rmtcgoiania.com.br\embarqueprioritario. O portal é acessível por computadores e celulares.

Ao acessar o site, o trabalhador deve clicar na aba cadastro, digitar o número do CPF e escolher e escolher a atividade essencial que ele faz parte, com base nos decretos estadual ou municipal. Em seguida, o usuário deverá anexar/escanear o documento que comprove o trabalho na categoria definida. Valerá carteira de trabalho ou crachá. Quem não tiver o documento, poderá fazer uma justificativa.

Por fim, basta clicar no termo de aceite, declarando que aquelas declarações são verdadeiras. O cadastro deve ser feito com pelo menos uma hora antes do embarque, para garantir a liberação nos validadores eletrônicos para embarques de passageiros, tanto nos ônibus quanto nos terminais e estações. A validação será feita por meio dos cartões de Sitpass, que já possuem previamente o CPF do usuário.

Além dos trabalhadores dos serviços essenciais, também poderão se cadastrar as pessoas que estiverem em alguma atividade essencial, como por exemplo se dirigindo a uma unidade de saúde, desde que tenha feito o cadastro com uma hora de antecedência. A cobrança das passagens a bordo dos ônibus pelos motoristas, também nos acessos de solo nos terminais e estações, fica suspensa nos intervalos determinados.

Segurança no cumprimento das medidas

A ação conta com parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP). “Nós estamos parceiros totais dessa luta. Já determinei ao Batalhão de Eventos que deem apoio aos fiscais nos terminais”, disse o secretário da SSP, Rodney Miranda. Ele orientou a prefeitos e prefeitas que precisarem de apoio que procurem o comandante do batalhão do município. Não só em relação ao transporte coletivo, mas também para inibir festas e baladas.

*Informações do Governo de Goiás

FONTE: DIA ONLINE

About Goiás em Notícias

Check Also

Você sabe o que é a Tarifa Social de Energia Elétrica?

Benefício foi criado para ajudar famílias de baixa renda. Descontos chegam a 65%, e CEB …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *