Campeã goiana é impedida de jogar em competição nacional por ser menina

Família da atleta, que está muito abalada com a notícia, já estava com passagens compradas para o torneio há meses.

Aos 11 anos, Maria Fernanda viu o sonho de jogar futsal em uma competição nacional chegar ao fim subitamente. Em um dia, ela estava de malas prontas para viajar até João Pessoa (PB) e participar da Taça Brasil de Futsal. No outro, não conseguia segurar o choro: a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS) comunicou, por e-mail, que Maria estava fora do torneio por ser menina.

Ao ver o mundo da filha cair, a autônoma Fernanda Rodrigues Alves conta que toda a família ficou abalada. “Nós estamos em choque, porque o aviso aconteceu a duas semanas e meia da competição. Ela chorou muito e está de cama, arrasada”, afirma.

A mãe aguarda uma reunião entre as federações estaduais, que deve ocorrer nesta quinta-feira (11) e tem como uma das pautas a participação feminina na competição. “Ainda temos a esperança de uma posição diferente, pois a Maria está se preparando há meses para a Taça. Ela batalhou como todo o time para estar lá, ganhou os pontos e partidas necessárias, ela merece participar”, protesta.

Se a resposta continuar sendo negativa, Fernanda irá acionar a Justiça. “Estou sendo assessorada por três advogados. Estamos analisando se a melhor decisão para garantir que ela participe é por liminar ou mandado de segurança. De qualquer forma, a ação vai acontecer”, assegura.

Não conseguindo o direito da filha competir, Fernanda quer, ao menos, uma indenização por danos materiais e morais. “Estamos com passagens compradas há meses, pagamos a inscrição, que não é barata. Também alugamos flat na cidade, como os outros jogadores. O prejuízo é grande, mas a decepção no rosto dela é o que dói”, lamenta.

Maria é apaixonada por futsal e já venceu várias competições, sempre jogando com meninos. Atualmente ela é campeã goiana pelo Formiguinhas, mas já foi chamada para treinar em times Atlético-MG, Athletico-PR e Santos. O caso é mais uma prova da desigualdade, no tratamento entre atletas femininas e masculinos.

Posição das entidades

Em nota, a CBFS diz que adota em suas competições os mesmos critérios utilizados pela FIFA em suas competições: idade e gênero. Também comunicou não serem realizadas competições mistas.

O presidente da Federação Goiana de Futebol de Salão (FGFS), Murilo Macedo, afirma que, no decorrer do ano, o regulamento das competições só é alterado mediante reunião com todos os presidentes. A inclusão será discutida nesta quinta-feira, mas ele acredita que será infrutífera.

“Eu penso que nem CBFS nem a FIFA vão permitir. Lamento, porque ela é uma excelente atleta, excelente criança. Isso ia abrilhantar o evento, mas são as regras e quem vai participar de uma competição dessa tem que ter ciência, porque recebe o regulamento geral das competições”, declarou.

Fonte: Portal 6

About dptoconteudo dptoconteudo

Check Also

Extração de pequi cresce 8,1% em Goiás

Damianópolis, Santa Terezinha de Goiás, Sítio d’Abadia, Campos Verdes e Crixás lideraram a extração de …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.